sábado, 25 de julho de 2015

FILOSOFIA - AULA 04 - ÉTICA E MORAL

Prof. Douglas Barraqui

Ética para quem?

As nossas ações do dia-a-dia são reflexos dos valores que cultivamos. A maioria de nós concorda quanto a valores básicos como não roubar, não mentir, não matar. Mas, e quando os valores básicos entram em choque? Aqui entram as QUESTÕES ÉTICAS. Diria até que são as encruzilhadas da nossa vida humana, quando temos que escolher entre dois caminhos.

Por vezes nos deparamos entre dois caminhos, ambos com aspectos morais positivos e, ao mesmo tempo, negativos. A complexidade da vida em sociedade emerge e não podemos dizer que existe uma certeza absoluta. É o momento em que cada um deve estar pronto para reavaliar e rediscutir seus valores. Nessas encruzilhadas da vida é você com você mesmo e o que entra em jogo é o CARÁTER.

Mas o que é ÉTICA? E qual a sua origem? A palavra ÉTICA vem de duas palavras gregas: Éthos que significa “o caráter de alguém” aquilo que pertence ao "bom costume", "costume superior", ou "portador de caráter" e êthos que significa “conjunto de costumes instituídos por uma sociedade para formar, regular e controlar a conduta de seus membros”. Para esse último sentido a ética confunde-se com a MORAL, uma palavra quem vem do latim mores ou costumes.

Mas, á ética não consiste apenas em seguir a moral e os costumes da sociedade. Ninguém será pura e simplesmente ético por obedecer ao que está predeterminado pela moral dominante. Como já vimos nas aulas anteriores, os costumes, os valores o que é bem e o que é mal mudam. Portanto, ÉTICA é

a atitude de colocar-se em dúvida, de questionar a moral e os valores.

ÉTICA, portanto, tem haver com:

Autonomia pessoal

AUTONOMIA vem das palavras gregas altos que quer dizer “si mesmo” e nómos que significa “leis”. Assim uma pessoa autônoma é aquela que “dá a lei para si mesmo”. É aquela pessoa que decide por si mesmo quais são seus valores.

Posso dizer então que eu tenho a ÉTICA quando eu paro para refletir sobre as minhas ações e nas minhas ações com as pessoas dentro da sociedade em que vivo. É imprescindível, não podemos confundir ÉTICA com MORAL:

MORAL - é fundamentada nos nossos costumes e é de acordo com a moral que a gente faz escolhas: de fazer isso ou aquilo, vai por este ou aquele caminho.

ÉTICA -  é quando paramos para pensar se valem mesmo esses costumes e se os valores são consistentes.

Veja exemplo abaixo:


Você se encontra  numa guerra e descobre que seu melhor amigo é agente duplo? O que você faria? Do ponto de vista ético, pela amizade (que é um valor humano)  que tem, não contaria nada ao seu capitão. Mas, do ponto de vista das outras pessoas que podem morrer em razão do que ele faz, você tem obrigação de contar. Se não o fizer, estará sendo antiético no plano social, global.

É necessário saber ainda que existem éticas diferentes, conjuntos de referências ou de princípios orientadores da maneira de agir. Isso se dá pela maneira de pensar das pessoas, que é diferente – cada um reage de uma forma frente a uma determinada circunstancia ou estímulo –, bem como isso também se dá por conta dos costumes que são diferentes, variam dentro de uma mesma sociedade. Se a fonte da ética, e desses princípios reguladores, é o jeito de pensar das pessoas, que está ligado, à maneira de viver das pessoas, que pode variar de acordo com o contexto histórico, país e cultura, obviamente as referências vão variar, portanto, teremos éticas diferentes.

Em nível de conclusão: a ética está relacionada, portanto, a discussão dos valores e da moral. Ser ético, no entanto, não consiste pura e simplesmente em seguir a moral e os costumes dominantes na sociedade. Ninguém é simplesmente ético por obedecer ao que está determinado pelos outros. A ética tem a ver com autonomia pessoal. É justamente nas decisões éticas que as pessoas constroem o que chamamos de caráter. Logo, a ética nos coloca em situação de escolhas. Testamos nossa ética quando temos que escolher entre dois caminhos, em que ambos aparecem aspectos positivos e negativos. Assim, para uma vida ética, são indispensáveis consciência e responsabilidade.
  
REFERÊNCIAS:

BLACKBURN, Simon. Pense: uma introdução à filosofia. Lisboa: Gradiva, 200.

CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. 7. ed. 2. reimp. São Paulo: Ática, 2000.

COLCHETE, Eliane e MORAIS JUNIOR, Luis Carlos de. A formação da filosofia contemporânea. Rio de Janeiro: Litteris, 2014.

DELEUZE, Gilles e GUATTARI, Félix. O que é a Filosofia? Trad. Bento Prado Jr. E Alberto Alonso Muñoz. Rio de Janeiro, 34, 1992.

2 comentários:

Pedro Eurico disse...

Olá colega, gostaria de saber se tem problema de eu usar o seu texto, com as devidas referências, no meu projeto?
Aguardo a resposta!
abraço

DoUgLaS BaRrAqUi disse...

Boa noite Pedro Eurico,
Fique a vontade caro colega para usar o texto!
Muitas alegrias em decorrência do sucesso!